Dúvida do leitor

Um leitor que se identifica apenas como Robson envia a seguinte mensagem para a seção Gramatigalhas:

"Gostaria de saber se os pronomes de tratamento 'Excelentíssimo' e 'Ilustríssimo', quando usados no feminino, admitem crase. Obrigado!"

1) Um leitor indaga se Excelentíssimo e Ilustríssimo, quando usados no feminino, admitem crase antes de si.

2) Algumas importantes observações sobre crase: a) em realidade, não há palavras que admitem e outras que rechaçam, apenas em teoria, a possibilidade de uso da crase; b) esta, como fusão da preposição a + outro a (artigo, pronome, letra inicial de pronome), deve ser analisada na prática; c) por isso a análise há de dar-se no caso concreto; d) e, quando se diz, por exemplo, que não há crase antes de masculino, é porque, por não haver artigo feminino antes de nome masculino, fica inviabilizada, no caso concreto, a fusão mencionada; e) a mesma observação vale para os verbos, para os pronomes de tratamento, etc.

3) Ora, quanto à indagação do leitor, o melhor que se faz, num primeiro momento, é formular exemplos em que se encontrem as palavras trazidas por ele para análise (até aqui, sem uso algum de sinal indicativo da crase, mesmo que devido): a) "Encontrei a Excelentíssima Desembargadora na plateia do teatro"; b) "Vi a Ilustríssima Delegada no teatro"; c) "O livro pertence a Excelentíssima Desembargadora"; d) "O livro pertence a Ilustríssima Delegada".

4) Com essa providência tomada, parte-se para a primeira, geral e importante regra de crase para nomes do feminino, a qual manda substituir, no raciocínio com o caso concreto, o nome feminino, antes do qual se quer saber se existe ou não a crase, por um correspondente masculino (não necessariamente um sinônimo, mas um vocábulo que mantenha a mesma estrutura sintática).

5) E se, com a substituição, aparece ao no masculino, então há crase no feminino; se não aparece ao no masculino, não há crase no feminino.

6) Veja-se como ficam os exemplos com a substituição: a) "Encontrei o Excelentíssimo Desembargador na plateia do teatro"; b) "Vi o Ilustríssimo Delegado no teatro"; c) "O livro pertence ao Excelentíssimo Desembargador"; d) "O livro pertence ao Ilustríssimo Delegado".

7) Torne-se, então, aos exemplos inicialmente formulados, com a maneira correta de escrita: a) "Encontrei a Excelentíssima Desembargadora na plateia do teatro"; b) "Vi a Ilustríssima Delegada no teatro"; c) "O livro pertence à Excelentíssima Desembargadora"; d) "O livro pertence à Ilustríssima Delegada".

  • Ilustríssima – Admite crase?
  • Ver Excelentíssima – Admite crase?
outras edições
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.