As pesquisas divulgadas nesta e na semana passada acentuaram com nitidez as margens do mapa eleitoral.

Não só no caso da corrida ao Planalto, mas também na disputa pelos governos dos estados.

Estão bem mais visíveis os espaços potenciais dos votos de continuidade, as correntes bolsonaristas, os nichos do PT e, no outro extremo, o Brasil antipetista.

Pelos números mais recentes, o status quo no Norte e no Nordeste segue relativamente o que o roteiro pré-campanha previa.

No Centro-Oeste, idem.

Sul e Sudeste sugerem peculiaridades - nem todas reveladas.

As batalhas locais nos estados dessas duas regiões, ao que parece, adquiriram vida própria.

________________________________________

Giro

Dados, nomes e etc

Para quem tiver tempo e curiosidade, vale a leitura.

A Gazeta do Povo, o Uol e o El País atualizam com frequência seus agregadores de pesquisa.

________________________________________

Conjuntura

Quem influencia quem

Se a eleição presidencial ganhar um segundo ato, com Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), o peso dos candidatos já eleitos nos estados (aliados ou não!) terá importância estratégica nas campanhas de ambos.

________________________________________

Presidenciáveis

Mais segurança

A partir de 1º de outubro, a Polícia Federal vai inaugurar um centro de inteligência para acompanhar os candidatos à presidência em tempo real.

Os agentes de campo ficarão interligados e serão coordenados por uma central montada em Brasília.

O esquema de segurança também prevê aporte de efetivo.

________________________________________

Bahia

Situação de momento

ACM Neto (DEM), prefeito de Salvador, já usou quase toda a munição disponível para fazer Geraldo Alckmin (PSDB) decolar na Bahia e ainda corre o risco de ver o PT reeleger o governador Rui Costa no primeiro turno.

________________________________________

Governo

Toffoli no Planalto

Dias Toffoli, presidente do STF, assumirá a presidência da República no próximo domingo (23), quando Michel Temer viajará para Nova York em razão da abertura da 73ª Assembleia Geral da ONU.

Rodrigo Maia (Câmara) e Eunício Oliveira (Senado) não podem assumir o posto porque são candidatos à reeleição.

________________________________________

Judiciário

Planos e propostas

Toffoli tem compartilhado com os mais próximos o que pretende fazer à frente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Há ideias de criar e/ou estimular o uso de ferramentas digitais de gestão processual para agilizar a execução fiscal.

Uma das possibilidades é a centralização dos processos, de diferentes tribunais pelo login de acesso do advogado.

________________________________________

Angra 3

Retomada

O TCU retirou a recomendação para que as obras da Usina de Angra 3 fossem consideradas irregulares.

Com a manifestação, o Congresso pode incluir o empreendimento na lei orçamentária de 2019.

As obras foram paralisadas durante o ápice das investigações da Lava Jato.

________________________________________

Economia

Dia de Copom

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central fecha hoje o segundo dia de reunião e deve manter a taxa básica de juros (Selic) em 6,5% ao ano.

________________________________________

Agenda

Fundeb - A Câmara dos Deputados debate hoje a aplicação dos recursos do Fundeb

Presidenciáveis 1 - Ciro Gomes (PDT) concede entrevista a G1 e CBN

Presidenciáveis 2 - Fernando Haddad (PT) é o entrevistado de hoje do Jornal da Globo

Nos jornais

Ibope 1 - Fernando Haddad (PT) cresceu 11 pontos percentuais e assumiu a vice-liderança com 19% das intenções de voto. Jair Bolsonaro (PSL) tem 28% (manchete de O Estado de S. Paulo, O Globo e Valor Econômico)

Ibope 2 - Ciro Gomes (PDT) permaneceu com os 11% do levantamento anterior e está empatado, no limite da margem de erro, com Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 7%. Marina Silva passou de 9% para 6% (manchete de O Estado de S. Paulo, O Globo e Valor Econômico)

Haddad - Com a consolidação do cenário de polarização com Jair Bolsonaro (PSL), o presidenciável do PT, Fernando Haddad, deve antecipar a estratégia de um discurso mais moderado, principalmente ao tratar do mercado e de política fiscal (todos os veículos)

Alckmin - Cobrado por aliados pela postura considerada morna, Geraldo Alckmin (PSDB) deve partir para o ataque para garantir uma vaga no segundo turno. O tucano subirá o tom de ataque a adversários e retomará 'desconstrução de Bolsonaro' (todos os veículos)

Ciro - Ameaçado por Haddad e pela consolidação dos votos de Jair Bolsonaro (PSL), Ciro Gomes (PDT) buscará se colocar como a melhor opção "ao centro" para conquistar uma vaga no segundo turno (O Globo e Valor Econômico)

Entrevista - Marina Silva (Rede) tenta se viabilizar no espaço do voto útil contra a polarização entre a candidatura Bolsonaro e Haddad, do PT. Em entrevista, Marina lembra já ter dito que “Bolsonaro e o PT eram cabos eleitorais uns dos outros” (Valor Econômico)

Renan - Por unanimidade, a Segunda Turma do STF absolveu o senador Renan Calheiros (MDB-AL) da acusação de peculato em um caso que começou a ser investigado em 2007 e que, à época, contribuiu para renúncia dele à presidência do Senado (todos os veículos)

IR + CPMF - O economista Paulo Guedes, que comandará o Ministério da Fazenda caso Bolsonaro seja eleito, anunciou ontem o pacote tributário que pretende implementar no governo. Entre as medidas, recriar a CPMF e criar uma alíquota única do IR (manchete da Folha de S.Paulo)

Câmbio - Após recuar quase 1% na véspera, o dólar subiu ante o real ontem. O movimento está em sintonia com tensões comerciais no exterior, motivadas pela guerra comercial entre China e EUA, e investidores de olho no cenário eleitoral brasileiro (todos os veículos)

EUA x China - A China decidiu, mais uma vez, retaliar os EUA após o governo de Donald Trump anunciar a aplicação recorde de tarifas a US$ 200 bilhões em importações do país asiático. O governo de Xi Jinping anunciou sobretaxas contra US$ 60 bilhões em produtos americanos (todos os veículos)

outras edições