A amiga Rayssa Terto pergunta:

"Você falou sobre a importância de lembrar que o marketing jurídico não é apenas digital, e que conta com mais de 60 opções de atuação que o advogado moderno deve conhecer. Você poderia citar algumas das mais importantes? Obrigada".

Rayssa, obrigado pela pergunta. Vale lembrar que não existe uma ferramenta mais importante que a outra e sim uma mais importante que a outra para aquela determinada estratégia. Isso significa dizer que apenas a análise aprofundada de como é o escritório (raio X atual) e o que ele pretende ser (objetivo final de marketing) é que determinarão quais as ferramentas fazem mais sentido na construção do caminho de marketing daquela determinada banca.

Vou dar um exemplo: apesar das redes sociais (e por consequência as informações que levamos ao mercado através delas) serem um dos 6 itens institucionais essenciais de qualquer escritório, para um escritório que atua em previdenciário, com um público alvo de pessoas mais idosas e que dificilmente tem ou acessam mídias sociais, essa é uma ferramenta que perde seu potencial perante a estratégia organizada e completa do escritório, em especial na impressão e prospecção de clientes. Este é apenas um exemplo aleatório para ilustrar.

Mas respondendo mais diretamente sua pergunta, fora os 6 itens essenciais (logotipo, site, folder impresso, folder digital, newsletter e redes sociais), podemos contar com ferramentas fortes no marketing jurídico como palestras, geração de artigos escritos e vídeo artigos, cafés-da-manhã, pesquisas de satisfação interna e externa, CRM, criação de diferenciais efetivos, análise de venda cruzada para clientes ativos, reapropriação de clientes inativos, assessoria de imprensa, rankings, planos de fidelização e parcerias complementares, apenas para citar algumas.

Para não consumirmos espaço da coluna, se você quiser conferir uma lista completa de ferramentas, divididas em estruturação de imagem institucional, prospecção ética de clientes e potencialização e crescimento de escritório, acesse aqui.

Além de repetir que cada ferramenta tem sua importância apenas dentro de uma estratégia estudada e alinhada com o perfil e objetivo do escritório, é importante também comentar que cada ação citada acima deve ser implementada da maneira correta e integrada com outras ferramentas. Um dos principais erro do advogado é achar que cada ferramenta atua apenas dentro de sua própria esfera, ao passo que deveria se integrar e trabalhar juntamente com outras.

Espero ter ajudado.

Confira toda sexta-feira a coluna "Marketing Jurídico" e envie suas dúvidas sobre marketing jurídico, gestão de escritórios, cotidiano dos advogados empreendedores ou dúvidas gerais sobre o dia a dia jurídico por e-mail (com o título Coluna Marketing Jurídico) que terei um grande prazer em ajudar.

Bom crescimento!

 

outras edições
Alexandre Motta

Alexandre Motta é consultor e sócio diretor do Grupo Inrise. Com formação e pós-graduação em marketing pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), atuou durante cinco anos em escritório jurídico como responsável pela área de desenvolvimento de negócios e comunicação com clientes. É palestrante oficializado pela OAB (tendo recebido inclusive a Medalha do Mérito Jurídico), escreve artigos de relevância para o mercado atual e é autor dos livros "Marketing Jurídico – Os Dois Lados da Moeda" e "O Guia Definitivo do Marketing Jurídico". Apresenta também o programa de entrevistas Conversa Legal, focado na interatividade dos profissionais do setor jurídico. Desde 2002 mantém, através de sua consultoria, uma clientela de inúmeros escritórios jurídicos sob sua responsabilidade de atuação e crescimento em marketing ético.