Não é novidade que 2014 foi um ano de retração econômica e que a maioria dos negócios teve um crescimento aquém do esperado. Com o baixo crescimento do PIB e alta inflação, devemos todos estar preparados para um ano igualmente delicado em 2015.

É claro que o intuito deste artigo não é ser pessimista – muito pelo contrário. Queremos demostrar o panorama atual e, em cima disso, trabalhar algumas sugestões para ajudar nossos clientes e outras empresas a terem um ano melhor.

Em TI, as previsões para 2015 estão naturalmente acopladas aos prognósticos pouco favoráveis da economia brasileira e às incertezas políticas que cercaram o país.

"As empresas que prestam serviços aos governos Federal e estadual devem considerar queda na demanda por projetos. No setor privado, a tendência é que sejam viabilizados projetos mais conservadores que apresentem um ROI evidente."

Conforme a previsão da Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), os principais impulsionadores do setor de TI durante 2015 serão:

  • Mobilidade – O aumento das parcerias internacionais e a diminuição das distâncias virtuais irá requerer serviços de gestão de mobilidade em vários ramos de atividade. TEM (Telecom Expense Management) deverá englobar a expansão da mobilidade sem fronteiras e oferecer serviços adequados a essa demanda. Com o crescimento do uso de dispositivos móveis, os usuários demandam cada vez mais o acesso a seus arquivos, documentos e sistemas a partir de onde estiverem.
  • Cloud computing – Crescerão as demandas por serviços relacionados às ofertas de cloud computing, como a nuvem híbrida e o novo modelo denominado cloud brokerage, modelo que propõe a contratação da empresa que passe a representar um ponto central de contato para administrar provedores, negociar contratações de recursos em nuvem e auxiliar na integração de todos os ambientes existentes no ecossistema da empresa contratante.
  • Big Data Social – Enquanto o Big Data de hoje tem a ver mais com dados de negócios unidos às opiniões nas redes sociais, o Big Data de amanhã terá mais relação à internet, de forma global, o que potencializará a comunicação entre as máquinas e ocasionará um impacto maior em nossas vidas.

A computação em nuvem deverá ultrapassar os US$ 100 bilhões em tamanho de mercado global neste ano, o que representa crescimento de 25% em relação ao ano anterior. O instituto acertou, principalmente, na questão do crescimento da computação em nuvem e no exponencial crescimento do uso de smartphones, tornando a mobilidade o paradigma predominante na computação.

Os projetos de nuvem continuam crescendo, mas com uma abordagem cada vez mais voltada para aumento da eficiência e segurança da informação. Em um ano onde a ordem é otimizar recursos para manter os custos controlados, as dicas de TI para 2015, segundo os especialistas da Penso Tecnologia, são:

1. Aproveitar melhor os recursos existentes

Quando a empresa sabe aproveitar a tecnologia que possui, as chances de crescer mais rapidamente, manter os custos enxutos e ainda oferecer vantagens únicas para os seus clientes, são maiores. O uso da cloud computing, em seus diferentes formatos, é uma das principais estratégias adotadas para otimizar os recursos de TI, seja com recursos internos ou de terceiros. Os investimentos em cloud computing também são mais próximos de atingir o retorno, uma vez que a nuvem é contratada como serviço, o que evita investimentos com servidores e agregados, bem como espaço e mão de obra para manutenção.

2. Implementar novas tecnologias de forma inteligente e sob demanda

À medida que as iniciativas de TI tornam-se mais complexas e o mercado não tem previsão de crescimento para 2015, os gestores precisam, mais do que gerenciar projetos, conhecer tecnicamente seus recursos e possuir budgets viáveis para responderem mais rapidamente às exigências do mercado, que mudam a todo momento. E, quando falamos de tecnologias inteligentes e sob demanda, a primeira coisa que vem na mente é a cloud computing.

Por fim, pense que a mesma tecnologia que está disponível para você, também está disponível para seus concorrentes. Portanto, ignorar as tendências da TI é quase o mesmo que aceitar ficar para trás.
____________________

*Thiago Madeira de Lima é diretor Executivo da Penso Tecnologia.

Ktree Penso Tecnologia da Informacao Ltda.