A chimpanzé Suíça, 10, que vivia em uma jaula do Jardim Zoológico de Salvador/BA, morreu ontem enquanto aguardava decisão da Justiça sobre um HC impetrado pela pelos promotores públicos do Meio Ambiente Heron José de Santana e Luciano Rocha Santana e mais 19 pessoas, dentre as quais professores e estudantes de Direito. A intenção era levá-la para um local de proteção em Sorocaba/SP.

Os responsáveis pelo pedido alegavam que a chimpanzé estava enjaulada sozinha desde que o seu companheiro "Geron" morreu, vítima de câncer, e que isto é uma forma de mau-trato. Argumentavam também que no santuário "Suíça" viveria com outros animais da sua espécie e com mais liberdade.

O juiz Edmundo Lúcio da Cruz, substituto da 9ª Vara Crime, afirmou que, durante seus 23 anos como magistrado, foi a primeira vez que recebeu um pedido de habeas corpus para um animal, daí ter preferido apurar melhor o caso.

leia mais

-