O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro (o Kakay) desistiu de HC impetrado no STJ em favor de Alberto Youssef, que tinha como finalidade anular todas as provas da chamada Operação Lava Jato. Youssef concordou com a delação premiada e uma das exigências foi a desistência de recursos que tentavam anular a Operação.

Kakay não concorda com a delação. Para o advogado, qualquer tipo de exigência que signifique a supressão de garantias fundamentais inequivocamente atenta contra o Estado democrático de direito.

"Exigir de um acusado que se encontra privado de sua liberdade, psicologicamente fragilizado, que desista do remédio constitucional que lhe pode garantir a liberdade, bem como obstar que uma Corte Superior se pronuncie sobre uma ilegalidade apontada em um habeas corpus já impetrado, constitui singular inversão de valores constitucionais."

Na petição de desistência protocolada nesta quinta-feira, 25, Kakay afirma que Alberto Youssef está "duramente submetido ao cárcere, em condições sub humanas, por cerca de seis meses e sem culpa formada". Além disso, diz que ele "mui dignamente e de cabeça erguida" seguirá por caminhos que o "impedem de acompanha-lo." O advogado é contra o uso do instituto da delação premiada e por isso não ficará na defesa de Youssef.

Veja a íntegra da petição de desistência.

  • Processo relacionado: HC 304.295