O ministro do STJ Luis Felipe Salomão reconhece a dificuldade que a Corte Especial tem na conclusão dos julgamentos, uma crítica constante dos advogados que ali militam.

Apesar disso, o relator da Lava Jato naquele colegiado assegura que, nos casos penais, a despeito de "não ser a vocação tradicional da Corte", esta tem apresentado resultados positivos, concluindo os casos com segurança e em tempo razoável.