O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, prorrogou por 15 dias o prazo para a PF terminar a investigação do inquérito que investiga o presidente Michel Temer por supostas irregularidades na edição do decreto dos portos. Já é a quarta prorrogação neste inquérito.

t

Oitiva

A PF havia pedido a prorrogação para ouvir duas pessoas indicadas por Temer: o ex-ministro dos Transportes Maurício Quintella, e o atual secretário dos Portos, Luiz Otávio Campos.

A PGR manifestou-se favoravelmente ao pedido de prorrogação por 15 dias para a realização das oitivas requeridas pela defesa, que estão agendadas para esta terça-feira, 18, e quarta, dia 19.

Inquérito

A investigação teve início em 2017 a partir de depoimentos em delação premiada de executivos do grupo J&F, e apura se um decreto editado por Temer teria por objetivo beneficiar empresas que atuam no porto de Santos.

Desde o início das investigações, o presidente nega que o decreto tivesse essa finalidade. Empresas alvo do inquérito também negam o pagamento de propina.

São investigados os crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro envolvendo possível repasse de valores a Temer e ao-ex-deputado federal Rocha Loures, e eventual vinculação de serviços prestados por representantes da Rodrimar S/A à edição do decreto.

leia mais