Como trabalham os juízes? Como dispõem de seu tempo e organizam suas atividades? Pesquisa realizada pela AMB, “Quem somos – A magistratura que queremos”, relaciona uma série de atividades e demonstra a média de tempo que os magistrados gastam com elas.

Confira abaixo. 

A “análise dos autos” foi considerada a atividade que mais consome o tempo dos magistrados de 1º grau; seguida da “realização de audiências”. 

Em terceiro lugar aparecem os “despachos de expedientes”, em quarto, o “atendimento a advogados”, em quinto a “gestão cartorária”, em sexto, a “pesquisa de jurisprudência”, e em sétimo a “leitura de textos técnicos”. 

A classificação realizada pelos juízes de 2º grau é um pouco diversa. Entre eles, as três primeiras atividades apontadas pelos juízes de 1º grau reaparecem, na mesma ordem de importância. 

Contudo, as demais atividades foram mencionadas em ordem diversa, apresentando a seguinte sequência: “atendimento a advogados”; “pesquisa de jurisprudência”; “leitura de textos técnicos”; e, em último lugar, “gestão cartorária e/ou administrativa”. 

t

A pesquisa revelou que o juiz federal apresenta uma rotina diversa, comandada pelas seguintes atividades: em primeiro lugar, a consulta da jurisprudência e, em segundo, leitura de textos técnicos.  

Análise de processos em casa

Quando a atividade foi a análise de processos em casa, 55,1% dos juízes de 1° grau responderam que o fazem frequentemente e 35,4%, apenas eventualmente. Menos de 10% dos respondentes afirmaram não fazer uso dessa prática.

Entre os juízes de 2º grau, 63,3% responderam que analisam com frequência processos em casa, e outros 29,6% afirmaram que o fazem eventualmente. Quase 20% dos juízes federais não analisam processos em casa. 

t

Veja a íntegra da pesquisa.

leia mais