"A mim me parece que essa é a maior crise que se abateu sobre o aparato Judicial no Brasil desde a redemocratização". Essas foram as palavras do ministro do STF Gilmar Mendes em entrevista à TV Migalhas nesta sexta-feira, 9. O ministro comentou os vazamentos envolvendo a operação Lava Jato.

Assista:

A entrevista foi concedida antes de o ministro proferir palestra em evento da AASP, cujo tema em debate foi repercussão geral e recursos repetitivos no STF.

O ministro destacou que "certamente juiz não pode ser chefe de força-tarefa", e ironizou, referindo-se a Moro: "daqui a pouco alguém dirá – ele trabalhou tanto que pode até reivindicar salário na Justiça do Trabalho, acumulou funções".

Quanto à atuação da PGR, Gilmar Mendes também criticou o "modelo autonomista" de atuação e destacou: "certamente deve haver uma reinstitucionalização". Assista:

"Vamos encerrar esse ciclo de falsos herois", disse o ministro. Ele destacou que, há algum tempo, se dizia: "isso contraria a Lava Jato". E agora, após os vazamentos. se revela esta "fragilidade."

O ministro comentou a questão da prova ilícita. Ele destacou que o hackeamento é crime e deve ser punida, mas "quem, às escondidas, praticou atos indevidos, tem que prestar conta deles".

Ainda na entrevista, o ministro comentou a decisão do STF que barrou a transferência de Lula para SP. Na última quarta-feira, 7, os ministros do STF suspenderam decisão que determinava a transferência do ex-presidente

Manifestação

No local onde acontecia o evento, esquina da Rua Augusta com a Alameda Santos, manifestantes se reuniram nesta manhã em apoio à Lava Jato, criticando o ministro Gilmar.

leia mais