Sob o título “Os novos ricos da Lava Jato”, a edição desta semana da revista Veja afirma que a operação “produz uma nova casta de milionários”, referindo-se aos advogados criminalistas que defendem os principais personagens do esquema. Na capa do hebdomadário está uma foto do advogado Adriano Bretas, com um charuto cubano.

Acerca da publicação, a AASP, o IASP e o MDA emitiram notas manifestando-se sobre a abordagem da revista. Confira abaixo.

_______________

Nota da AASP

Revista Veja, edição 2558

A Associação dos Advogados de São Paulo – AASP manifesta surpresa e preocupação com o teor da matéria de capa da Revista Veja desta semana.

Ignorando a importância e a indispensabilidade da advocacia para a correta aplicação da Justiça, optou o periódico por abordar, de forma sensacionalista, supostas remunerações milionárias de determinados advogados.

A AASP solidariza-se com os colegas que tenham sido indevidamente mencionados e reafirma sua posição em defesa dos verdadeiros valores da Advocacia: coragem, zelo e independência.

A liberdade de imprensa é valor essencial da democracia e merece ser defendida, mas todos devem agir com seriedade para não denegrir a imagem da profissão com matérias frívolas que não retratam quer as dificuldades, quer os reais valores da advocacia brasileira.

São Paulo, 25 de novembro de 2017

_______________

Nota do IASP

O Instituto dos Advogados de São Paulo manifesta sua perplexidade com a matéria da Revista Veja que transmite à sociedade a falsa e repudiante mensagem de que a Advocacia se confunde, ou se beneficia com a corrupção.

A Ordem dos Advogados do Brasil nunca se omitiu na apuração dos desvios éticos do exercício profissional, estranhos à imensa maioria da Advocacia que exerce o seu sagrado trabalho de defesa e de representação de todo cidadão perante o Poder Judiciário.

Mesmo a reportagem sendo imprestável para o fundamental objetivo de informar que o Advogado é indispensável à administração da Justiça e garantia do Estado de Direito, nunca a Advocacia tolerou a censura e, bem por isso, aguarda que esta manifestação tenha a divulgação pela imprensa responsável que não deseja incitar a sociedade contra a classe de seus legítimos defensores.

José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro

Presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo

_______________

Nota do MDA

O Movimento de Defesa de Advocacia - MDA reitera sua preocupação com mais um ataque à advocacia, desta vez sob o aparente pretexto de revelar à sociedade os hábitos e práticas de advogados que atuam na defesa de pessoas envolvidas na Operação Lava Jato.

O advogado, no exercício de sua profissão, defende direitos fundamentais e, consequentemente, o Estado de Direito.

A nova e inadmissível tentativa de desmoralização da classe, por meio de revista semanal de grande circulação, estimula a intolerância e o ressurgimento de movimentos totalitários.

A advocacia não se intimidará diante das ameaças ao exercício de sua função de defensora do Estado Democrático de Direito.

Rodrigo R. Monteiro de Castro

Diretor Presidente

leia mais