Em entrevista à TV Migalhas, Gustavo Badaró, advogado do escritório Badaró Advogados Associados e professor de Direito Processual Penal da USP, fala sobre a decisão do STJ que restringiu o foro por prerrogativa dos governadores e conselheiros de Tribunais de Contas. Para ele, o princípio da isonomia deve nortear futura decisão sobre prerrogativa de foro de juízes e procuradores.

leia mais

-