No dia 1 de setembro de 1969, Pinheiro Neto Advogados inaugurava oficialmente seu primeiro escritório no Rio de Janeiro. O que começou em um espaço com menos de 200 metros quadrados na avenida Rio Branco, liderado por um sócio e dois advogados, se transformou em um escritório liderado por 11 sócios, 5 consultores e mais de 100 integrantes, ocupando 2.400 m2 na Lagoa. Ao longo dos anos, o escritório assumiu posição de destaque no cenário jurídico carioca, representando as principais empresas do país em alguns dos seus casos e transações mais significativos.

t

A presença de Pinheiro Neto Advogados na cidade vai além de sua atuação em Direito. Por meio de ações de responsabilidade social, age em benefício de associações sem fins lucrativos no Rio de Janeiro. Um exemplo é o apoio à instituição Parceiros da Educação, no Rio de Janeiro, mediante o suporte para a melhora na educação de duas escolas públicas de Humaitá através de ações que incluem treinamentos a professores, aulas de reforço, aulas de inglês, dentre outras atividades, atingindo mais de 700 alunos.

O escritório também é pioneiro por seu trabalho pro bono, sendo o primeiro do país a remunerar seus advogados por esta atividade. Uma das atividades pro bono desenvolvidas no Rio de Janeiro é a assessoria à Associação de Amigos da Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV), a mais antiga e mais importante escola de artes do Brasil. Por isso, nada mais natural do que celebrar os 50 anos de presença na cidade do Rio de Janeiro dando de presente à cidade a exposição Campo, que será exibida no Parque Lage entre os dias 25 de agosto e 20 de outubro.

Com curadoria de Ulisses Carrilho, a mostra é resultado do trabalho de seis ex-alunos da EAV, Adriana Varejão, Luiz Zerbini, Ernesto Neto, Beatriz Milhazes, Daniel Senise e Laura Lima, que voltam consagrados ao espaço do Parque Lage para refletir sobre a noção de espaço e tempo.

t