"Esse é o grande papel da 'Justiça Itinerante', levar o Judiciário para perto dos jurisdicionados”. A afirmação é da juíza de Direito Vanessa Leite Mota, coordenadora do programa Justiça Itinerante do TJ/AM, após se deslocar até a casa de um homem para oficializar o processo de divórcio.

t

O requerente da ação estava se recuperando de um acidente vascular cerebral e, por isso, ficou impossibilitado de se locomover até o local de atendimento da Justiça Itinerante para participar da audiência de assinatura do divórcio.

Diante da adversidade enfrentada pelo requerente, a magistrada se deslocou até a casa dele e realizou o processo de divórcio consensual do casal.

De acordo com informações divulgadas pelo TJ/AM, a ex-esposa explicou que eles estavam separados há 22 anos, mas, por motivos financeiros, não conseguiam formalizar o divórcio. Com a Justiça Itinerante, o procedimento se tornou acessível.

No serviço prestado pelo projeto, é possível ajuizar, sem a necessidade de um advogado, ações de cobrança de dívidas; danos materiais e morais; direito do consumidor; pensão alimentícia; divórcio; guarda de filhos; além de encaminhamento para a obtenção de 2ª via do registro civil.

 Informações: TJ/AM.

leia mais